Em paz com o espelho

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Sobre Auto-estima e Auto-aceitação...

Mensagem por Palavra de Condão em Qui Jun 26, 2008 9:54 am


Palavra de Condão
Admin

Feminino
Número de Mensagens : 652
Idade : 36
Data de inscrição : 19/02/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Em paz com o espelho

Mensagem por Palavra de Condão em Seg Mar 10, 2008 8:57 am

Você está satisfeita com sua auto-imagem? Aceite-se e seja feliz!

Beleza é mesmo fundamental? Esta aí uma pergunta aparentemente simples, mas provocadora de diferentes linhas de pensamento que nos levam ora a responder sim, ora a responder não. Como considero a dúvida e a ambigüidade sinais claros de inteligência e bom senso, sinto-me desafiada a tentar respondê-la.

Beleza é um termo que desperta uma infinidade de percepções e conceitos. Se estivermos nos referindo à beleza plástica, inegavelmente tem importância significativa na vida da maioria de nós. O ser humano naturalmente tem prazer diante do belo. Por belo, me refiro à harmonia do estético, à elevação espiritual diante de lindas paisagens, de obras de arte, das poesias, dos gestos generosos, da exuberância das cores, da doçura do olhar, dos estilos arquitetônicos e das expressões diversas do amor. Poderia ficar horas enumerando a importância do belo a nossa volta, em nós e entre nós.

Perdemos tempo demais tentando ser o que não somos, querendo ter o cabelo da estrela de cinema, o abdômen da colega de malhação, o rosto da atriz tal, a altura da amiga, enfim, negando o que somos e almejando sempre sermos diferentes

Ditadura da beleza é diferente. Aliás, qualquer ditadura é, no mínimo, burra e ineficaz. Vivemos um triste momento em que se generalizou um tipo de beleza e esta ganhou um valor exacerbado e distorcido, o que resulta em infelicidade grave para um número muito expressivo de pessoas da sociedade moderna. Vaidade, querer estar saudável, dar atenção à aparência física e querer estar bonita, podem ser sinais de auto-estima bem trabalhada e equilibrada. Quando, porém, a pessoa se torna escrava do "parecer bonita" e perde o bom senso, é hora de começar a repensar os fundamentos que estão norteando a vida. Se você perceber que estar bonita, conforme o padrão massificado, tornou-se algo fundamental e central em sua vida, como se fosse sinônimo de ser amado, aceito e admirado, corra e procure ajuda porque essa insatisfação é de difícil solução.

Aceitação. Palavra mágica e quase impossível de ser exercitada. Somos todos diferentes e é nessa diversidade que reside a harmonia do belo. Quando aceitamos o próprio biótipo, sabemos tirar proveito máximo de nossos pontos fortes e desvalorizar os mais fracos. A espontaneidade e naturalidade com que nos sentimos e nos comportamos dão, certamente, o tom bonito. Perdemos tempo demais tentando ser o que não somos, querendo ter o cabelo da estrela de cinema, o abdômen da colega de malhação, o rosto da atriz tal, a altura da amiga, enfim, negando o que somos e almejando sempre sermos diferentes. Você é como é. Parta daí para aprimorar e melhorar o que deseja. As vítimas de transtornos relacionados à auto-imagem se impõem um sofrimento estéril e cruel - "flagelar-se". Invariavelmente começam a se privar de prazeres fundamentais, como comer, beber, sentirem-se bem e bonitas. Anulam paulatinamente todas as possibilidades de serem felizes.

Prazer sem culpa!

Ponderação e Equilíbrio!

Alegria e Generosidade!

Afeto e zelo por seu próprio corpo e aparência!

Atitudes Saudáveis!

Leveza nas ações e reações!

Amor e respeito por si mesmo!

Talvez, dessa forma, fundamentadas nesses valores possamos descobrir o direito de sermos o que somos em todos os sentidos. Podemos também descobrir que a beleza é fundamental quando vista como qualidade que eleva os sentidos e prazeres, sendo uma síntese de aparência com essência. Com certeza, minha resposta é não para a pergunta proposta, quando penso em pessoas desperdiçando o que são e suas belezas naturais, sofrendo, sentindo-se feias e inadequadas apenas porque não são cópias dos ícones de beleza da época. Não percebem que lutam contra o invencível e o absolutamente desnecessário.

Todo mundo pode tentar fazer as pazes com a própria natureza, aceitando-a e cuidando para que seja bela nas formas, no conteúdo e na energia.



Eda Fagundes é psicóloga clínica com longa experiência nos tratamentos de casal, família e transtornos da sexualidade.

Palavra de Condão
Admin

Feminino
Número de Mensagens : 652
Idade : 36
Data de inscrição : 19/02/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum